Sanofi
SPerguntas frequentes sobre prisão de ventre

Perguntas Frequentes sobre a prisão de ventre e utilização de Laxantes

Esclareça as suas dúvidas sobre prisão de ventre e a utilização de laxantes.

Fala-se em prisão de ventre se evacuar menos de três vezes por semana. Fala-se de uma evacuação difícil, se não conseguir evacuar ou se evacuar com dificuldade devido à existência de fezes duras e secas. Tanto adultos como crianças e bebés podem ter fezes duras. Outros sintomas couns associados à presença de fezes duras são distensão abdominal, dor abdominal, sensação de inchaço e cólicas abdominais.
Um padrão alimentar caracterizado pelo baixo consumo de alimentos ricos em fibras é a causa mais frequente. No entanto, existem outras causas possíveis como o envelhecimento, sedentarismo, stress e ansiedade, alterações hormonais ou a toma de alguns tipos de medicamentos.
Sim, a digestão  das mulheres funciona mais devagar. Nas mulheres, demora cerca de 32 horas para que os alimentos passem no aparelho digestivo e saiam do corpo sob a forma de fezes. Nos homens demora cerca de 27 horas. O aparelho digestivo vai ainda funcionar mais lentamente durante uma gravidez. Isto é causado pela hormona progesterona, que funciona como um relaxante muscular, atrasando assim o movimento intestinal.
Um laxante é um medicamento eficaz contra a prisão de ventre. Existem vários tipos de laxantes, mas todos eles têm a finalidade de aliviar a prisão de ventre. Existem laxantes que retêm mais água no intestino grosso e tornam as fezes mais hidratadas e macias, o que facilita a evacuação (laxante osmótico). Outros estimulam o movimento peristáltico do intestino o que faz com que as fezes sejam transportadas mais rapidamente pelo intestino (laxante de contacto). Há ainda outros laxantes que aumentam o volume fecal.
Quando alterações no estilo de vida não são suficientes ou suficientemente rápidas na resolução da prisão de ventre, então pode considerar a toma de um laxante. Os laxantes são medicamentos eficazes contra a prisão de ventre e a sua utilização de curta duração, em combinação com uma adaptação do padrão alimentar e do estilo de vida, pode resolver o problema.
Os laxantes devem ser utilizados de acordo com as indicações do folheto informativo ou segundo a recomendação do seu médico. Quando tomados de forma recomendada, são em geral bem tolerados.
Um laxante atua de forma rápida e eficaz contra a prisão de ventre. Dulcolax melhora o funcionamento do intestino porque aumenta o movimento peristáltico dos Intestinos e amacia as fezes por ficarem mais hidratadas. Os laxantes devem ser utilizados no máximo durante três dias seguidos. Na maioria dos casos, após a toma de um laxante a função intestinal é restabelecida.
Um laxante  funciona de forma diferente de um produto para perder peso. Os produtos que são utilizados para perder peso tiram o apetite ou limitam a absorção de gordura pelo organismo. Um laxante não tem nenhuma destas funções. A função de um laxante é colocar um intestino lento a funcionar normalmente.
Os sintomas intestinais mais comuns são a dor e cólicas abdominais, gases (flatulência), sensação de distensão ou inchaço abdominal, diarreia, prisão de ventre (associada ou não a fezes duras).
Uma inflamação é uma reação do organismo quando apresenta um tecido danificado, por exemplo, uma ferida ou infeção. Uma inflamação intestinal pode ocorrer em várias partes do intestino:
• No duodeno (úlcera duodenal);
• No intestino delgado (como na doença de Crohn).
• No intestino grosso (colite ulcerosa);
• No reto (proctite).
A síndrome do cólon irritável é a perturbação intestinal crónica mais comum. Os sintomas são sensação de inchaço, dor abdominal, prisão de ventre (que pode alternar com diarreia), fadiga, náusease gases. Os sintomas podem diferir de pessoa para pessoa. Atualmente, na literatura médica internacional são distinguidas três formas:
1. SCI-D com diarreia predominante
2. SCI-O com prisão de ventre predominante, e
3. SCI-M com prisão de ventre e diarreia alternadas.
Os sintomas de SCI são mais frequentes nas mulheres do que nos homens, principalmente entre os 15 e os 65 anos de idade.
A causa exata da Síndrome do Cólon Irritável, ou intestino espástico, ainda não é conhecida, mas pode ser agravada por ansiedade, depressão e stress. Outros fatores que podem ter influência neste problema  são os erros alimentares, alergia ou intolerância a alguns alimentos e infeção por parasitas intestinais.
Consuma alimentos ricos em fibras. As fibras alimentares estimulam o movimento intestinal e retêm água, o que faz com que as fezes fiquem mais macias. Além disso, beber água em quantidade adequada e a prática regular de exercício físico pode ajudar. Mal sinta vontade de evacuar vá logo à casa de banho, de modo a que as fezes fiquem o menor tempo possível no intestino grosso, onde poderão perder água e tornar-se secas e duras. Evite também situações de stress que podem levar a menos idas à casa de banho.
Um laxante pode ser uma solução eficaz no caso de prisão de ventre e fezes duras persistentes. Dulcolax é um laxante, que há mais de 60 anos proporciona um alívio eficaz contra prisão de ventre e fezes duras. Os comprimidos, cápsulas e supositórios de Dulcolax ou Dulcogotas devem ser utilizados de acordo com a informação contida no folheto informativo for respeitada. Como acontece com todos os outro laxantes, não devem ser utilizados durante mais de três dias seguidos.
Caso os sintomas persistam, ou tenha dúvidas relacionadas com os seu problemas intestinais, é aconselhável consultar o seu médico.
Não. No entanto deve consultar o seu médico se os sintomas de prisão de ventre persistirem.
Não, os laxantes não são viciantes. O uso de laxantes não leva a dependência.
Não. Os especialistas indicam que a prisão de ventre não faz com que se acumulem toxinas no organismo. A prisão de ventre pode fazer com que se sinta desconfortável e pode ter como consequência uma sensação de barriga inchada e flatulência.
Como acontece com os adultos, os médicos devem aconselhar a prevenir e a tratar os problemas de prisão de ventre através da adaptação do estilo de vida. Aconselhando-o a comer mais alimentos ricos em fibras (em especial fruta e vegetais), a fazer mais exercício físico e a hidratar-se adequadamente. Caso estas medidas não sejam suficientes, então poderá considerar a toma de um laxante, sob supervisão médica.
Os conselhos médicos padrão indicam que os laxantes que se podem adquirir sem receita médica, como o Dulcolax® podem ser utilizados de tempos a tempos para aliviar de forma eficaz a prisão de ventre. Contudo, é aconselhável que consulte um médico se tiver regularmente prisão de ventre, mesmo depois de ter adaptado o seu estilo de vida ou quando tiver prisão de ventre durante um período superior a 2 semanas. Um médico pode prescrever a utilização de um laxante durante um período mais prolongado para tratar algumas patologias e os efeitos secundários de determinados medicamentos. Contudo, isto apenas é feito sob vigilância médica rigorosa.
Em primeiro lugar, deve procurar informação sobre a doença junto do seu médico pois apenas um profissional de saúde pode fazer o diagnóstico desta síndrome. Também é muito importante controlar os factores de risco psicológicos que poderão agravar os sintomas, nomeadamente a ansiedade e a depressão. A maior parte das pessoas tem obtido bons resultados com a adaptação dos hábitos alimentares e do estilo de vida.
A distensão abdominal ou barriga inchada é, em geral, consequência de uma má digestão. Uma perturbação da flora intestinal é muitas vezes a origem do problema. Pode ocorrer devido à formação de gás em excesso no trato gastrointestinalo que pode estar associada a dor abdominal, náuseas, , arrotos ou gases (flatulência). Na maior parte dos casos os sintomas são inofensivos e fáceis de prevenir e tratar.
A distensão abdominal durante ou nos dias que antecedem o período menstrual é uma consequência imediata das alterações hormonais que ocorrem durante o ciclo mensal da mulher. Os intestinos funcionam de forma mais lenta, é extraída mais água do seu conteúdo, as fezes tornam-se mais duras e secas, a evacuação é mais dolorosa e é produzida uma maior quantidade de gás nos intestinos (flatulência).
Libertar gases é normal e saudável. De forma audível ou não, o excesso de gás intestinal sai do intestino através do ânus. Estes gases provêm do ar que a pessoa engole, dos alimentos ricos em ácido carbónico que ingere ou da decomposição dos alimentos pelas bactérias intestinais - é o resultado da produção de gases por leveduras e bactérias do intestino. Todas as pessoas libertam gases, muitas vezes sem darem por isso e durante o sono. Quando isto ocorre com uma frequência superior ao normal fala-se de flatulência (flatos = gases).

Não encontra a resposta à sua questão? Então visite a página dulcolax.pt ou entre em contacto com a redação de alivioprisaodeventre.pt.

Está prestes a sair do website Alivioprisaodeventre. Ao clicar no botão ”Ok” será direcionado para outro website onde os termos e condições podem ser diferentes das do website Alivioprisaodeventre. Deseja continuar?