Sanofi
Tratar a prisão de ventre com laxantes

DIGESTÃO E DOR DE BARRIGA

Compreenda a sua barriga

Evacuar todos os dias era visto como um sinal de uma digestão saudável, mas atualmente a frequência de evacuação é vista de outra forma - pode ser considerado normal ir à casa de banho de 3 vezes por dia a 3 vezes por semana.
Tal como a prisão de ventre, os espasmos e a dor de barriga (ou dor abdominal) são perturbações muito comuns. Podem manifestar-se, por exemplo, como sensação de facadas ou um nó na barriga. Normalmente, são temporárias e inofensivas, mas podem ser muito incómodas.

A digestão funciona de dia e de noite. Processa os alimentos e transforma-os em energia e nas proteínas de que o seu organismo precisa para recuperação, crescimento e manutenção. A primeira etapa do longo processamento dos alimentos é mastigar e engolir os alimentos. Em cada etapa os nutrientes são separados dos resíduos, que são posteriormente excretados quando vai à casa de banho.

Uma digestão normal está relacionada com a capacidade do seu organismo tem em transportar alimentos através do tubo digestivo. O aparelho digestivo é formado, entre outros ógãos, pelo estômago e pelos intestinos (delgado e grosso).

As paredes do tubo digestivo estão munidas de músculos com camada dupla responsáveis pelo movimentos peristálticos (movimentos tipo onda que ajudam ao transporte dos alimentos através do tubo digestivo). Através do movimento peristáltico, os alimentos são suavemente fragmentados e amassados e transportados ao longo do tubo digestivo até ao intestino grosso, onde permanecem temporariamente. A tarefa mais importante dos intestinos é absorção de água, minerais e nutrientes, sendo os resíduos enviados para o reto e expulsos do corpo.

A prisão de ventre pode ocorrer quando os movimentos peristálticos não ocorrem com a frequência desejada ou quando mais água do que o normal é absorvida nos intestinos e transportada para o sistema circulatório. Como resultado, as fezes secam e ficam duras tornando mais difícil a sua expulsão.
• Tomar sempre o pequeno-almoço.
• Disponibilizar tempo para ir à casa de banho:
• Comer regularmente, a cada 4 a 5 horas
• Evitar refeições grandes e pesadas à noite.
• Ingirir líquidos (água) suficientes. 6 a 8 copos por dia (cerca de 1,2 litros).
• Apostar nos alimentos ricos em fibras.
• Considerar a utilização de probióticos (pode estimular o aumento de “bactérias amigáveis”)
• Pratique exercício físico regularmente
• O stress pode ter um papel muito importante
• A irritação do estômago e dor no abdómen superior, muitas vezes acompanhada de azia e arrotos, ocorre geralmente depois de comer muito ou ingerir grandes quantidades de gordura
• As cólicas intestinais aparecem frequentemente depois de comer alimentos que causam a formação de gases, como couve, feijão e cebolas
• Dor abdominal juntamente com náuseas e diarreia aponta para uma infeção intestinal (gastroenterite)
• Cólicas abdominais associadas a vómitos e diarreia são sintomas comuns de intoxicação alimentar
• Dor no abdómen inferior, muitas vezes também acompanhada de dor nas costas pode ser causada pela menstruação
Quando a dor abdominal for causada por espasmos gastrointestinais, as medidas seguintes podem ajudar:

• Não consumir alimentos ou bebidas que sabe que podem causar problemas
• Tente evitar o stress
• Tente deitar-se e descansar
• Tente aplicar algo quente (por ex., um saco de água quente) para fazer com que os músculos relaxem

Se as medidas acima não resultarem, então pode considerar tomar um antiespasmódico (por exemplo, Buscopan).

É aconselhável consultar o seu médico se a dor e ou os espasmos persistirem ou piorarem ou quando esta condição for acompanhada de febre, perda de peso ou se aparecer sangue nas fezes.
A síndrome do cólon irritável (SCI) é muito comum em todo o mundo: em Portugal, à semelhança do que sucede na Europa, 20 a 25 por cento das pessoas sofrem desta doença* também conhecida como cólon espástico.

Embora a SCI não seja uma doença grave, os sintomas podem refletir-se de forma negativa na vida diária e causar muitos transtornos. A sensação de inchaço, náuseas, cólicas abdominais e/ou flatulência podem ser sintomas frequentes. A forma como esta perturbação aparece ainda não está totalmente esclarecida.

Além disso, a síndrome do cólon irritável pode estar associada a prisão de ventre que alterna com períodos de diarreia, o que pode ser muito incómodo. O stress pode piorar os sintomas, por isso tente evitar situações de stress.

Se tiver sangue nas fezes, dor no abdómen, perda de peso inexplicada, febre ou casos de cancro do cólon na família, aconselhe-se com o seu médico. Um médico poderá pedir exames para verificar se o seu problema está relacionado com a síndrome do cólon irritável, ou se tem outra causa. Caso tenha mais de 50 anos, também deverá ir ao médico.

É muito importante que, em doentes com sintomas crónicos, sejam excluídas outras doenças mais graves como ou cancro. Também se pode considerar a possibilidade de intolerância ao glúten. Se o doente apresentar sintomas crónicos, é sempre aconselhável consultar um médico.

• Afirmação de Venâncio Mendes, presidente da Sociedade Portuguesa de Endoscopia Digestiva (SPED), em entrevista ao jornal Público.

Caso ainda tenha questões que queira ver esclarecidas também pode visitar as páginas dulcolax.pt e buscopan.pt ou entrar em contacto com a redação de alivioprisaodeventre.pt.

Está prestes a sair do website Alivioprisaodeventre. Ao clicar no botão ”Ok” será direcionado para outro website onde os termos e condições podem ser diferentes das do website Alivioprisaodeventre. Deseja continuar?