Sanofi
Gases e flatulência

GASES

Saiba como se formam os gases, porquê e como se trata

Libertar gases é saudável e todas as pessoas libertam gases, muitas vezes sem darem por isso e durante o sono.
No entanto, quando isto ocorre com uma frequência superior à normal (12 a 25 flatos por dia), fala-se de flatulência. A flatulência geralmente causa muita vergonha, mas a verdade é que quase todos os organismos, incluindo mamíferos, peixes e pássaros sofrem de flatulência.

Uma pessoa produz em média 0,5 a 1,5 litros de gases intestinais por dia. A maior parte provém do ar que engolimos e do ácido carbónico que ingerimos (presente nas bebidas gaseificadas); apenas uma pequena parte é produzida nos intestinos através de leveduras e bactérias.

O gás intestinal contém 99% dos gases inodoros tais como azoto, oxigénio, dióxido de carbono, hidrogénio e metano. Apenas 1% do gás intestinal causa o cheiro desagradável, devido principalmente a compostos de ácido butírico e enxofre, e a produtos de degradação das proteínas.
Os sintomas são parcialmente causados pelo ar que engolimos e pelo ácido carbónico (gás presente nos refrigerantes) que ingerimos. Posteriormente, este gás ingerido é ainda misturado com os gases que são produzidos nos nossos intestinos por bactérias e leveduras. Por fim, o produto final é libertado para o exterior através do ânus. O odor característico, associado à flatulência, é causado por compostos de enxofre e ácido butírico.

Não se consegue prevenir totalmente os gases: todas as pessoas libertam cerca de 12 a 25 flatos (gases) por dia.
A acumulação de gases no trato gastrointestinal é a causa subjacente. É engolido muito ar ao comer depressa, mastigar mal os alimentos, falar ao deglutir, fumar, mascar pastilha elástica, ou beber por uma palhinha. Além disso, alguns alimentos estimulam a formação de gases (por exemplo, bebidas gaseificadas e produtos com açúcar).

As principais causas da flatulência são:
• Erros alimentares, nomeadamente comer em excesso;
• Comer depressa demais ou mastigar mal os alimentos, o que leva a que engula ar;
• Consumo excessivo de bebidas alcoólicas;
• Alguns medicamentos;
• Alergia ou intolerância alimentar;
• Intoxicação alimentar;
• Gravidez ou menstruação.


Distúrbios digestivos, tais como a intolerância à lactose podem contribuir para a flatulência. Fatores como stress e/ou ansiedade, mas também o envelhecimento e alguns medicamentos estão muitas vezes associados a mais gases intestinais.
A flatulência é um fenómeno completamente normal, mas quando ocorre em excesso é mais considerada como um incómodo do que prejudicial. No entanto, quem sofre muito de flatulência deve investigar as causas que estão na origem do problema, pois os sintomas também podem ser causados por outras doenças, como a doença celíaca (intolerância ao glúten), colite ulcerosa (inflamação do intestino grosso) ou a intolerância a lactose (intolerância ao açúcar do leite).
Ter barriga inchada (ou distensão abdominal) nem sempre aponta para algo grave, mas sim para problemas relacionados com a digestão. Isso não significa necessariamente que comeu demais: pode surgir através da formação de gases. É causado pela formação e acumulação de gases nos intestinos e indica que os alimentos não foram totalmente digeridos no organismo.

Se sofrer deste problema, em primeiro lugar, comece por estar atento ao seu padrão alimentar. O consumo excessivo de açúcar, hidratos de carbono, gorduras e produtos lácteos contribui para o aparecimento de barriga inchada.

Para evitar este problema, é muito importante ter uma alimentação saudável: com pouca gordura e com alimentos muito ricos em fibras. A prática de exercício físico também pode ser útil para a saúde dos seus intestinos.
Também determinados medicamentos como antidepressivos, antidiabéticos orais e alguns analgésicos podem causar inhcçao abdominal. Embora isto possa ser desconfortável ou doloroso, não deve tomar medicamentos sem consultar um médico. Se depois de começar a tomar uma determinada medicação sentir a barriga inchada, consulte o seu médico para saber se há algo que possa ser feito para o prevenir.
Os alimentos ricos em fibra são bons para o seu microbioma (bactérias intestinais). Através da alimentação pode influenciar a composição dos microorganismos presentes no seu intestino. Pode alimentar as bactérias boas do seu intestino com fibras presentes em cereais integrais, como pão integral, muesli, aveia e farelo.

Quando aumentar o consumo de fibras, primeiro os intestinos têm de se habituar. As bactérias no intestino grosso através de um processo denominado fermentação podem formar gás em excesso e flatulência, mas após uma ou duas semanas esta vai diminuindo e os intestinos já estarão mais habituados às fibras na alimentação.
Principalmente no início da gravidez, surge muitas vezes uma sensação de barriga inchada (distensão abdominal). Isto pode ocorrer devido à pressão que o útero exerce sobre os restantes orgãos abdominais ou, como acontece na maioria dos casos, ser de causa hormonal. A progesterona promove a retenção de líquidos e torna os intestinos mais lentos e obstipados. É também frequente a formação de gases em excesso, o que normalmente não é grave.

Levar uma alimentação saudável, não consumindo muitas gorduras e hidratos de carbono nem ingerindo bebidas gaseificadas pode ajudar. Caso não seja suficiente, Dulcogas pode ser a solução. Dulcogas ajuda a eliminar gás do abdómen e dos intestinos e combate a sensação de inchaço, podendo ser utilizado por mulheres grávidas e a amamentar, sob aconselhamento médico.

Caso a sensação de barriga inchada e flatulência se associe à ocorrência de cólicas abdominais, é aconselhável consultar o seu médico.
Quem sofre de flatulência, pode tentar fazer algumas adaptações na sua dieta, como por exemplo:

- Ingerir menos alimentos ricos em hidratos de carbono, como arroz, batatas ou massa;
- Aumentar a ingestão de fibra, por exemplo em vegetais, fruta e leguminosas
- Reduzir o consumo de bebidas gaseificadas
- Evitar alimentos que contribuam para formação de gases, como por exemplo feijão, couve, cebolas.

Se os sintomas forem causados por intolerância a lactose, então a flatulência pode ser prevenida reduzindo o consumo de lactose.

Além disso, comer devagar, mastigar bem os alimentos e praticar exercício físico regularmente também pode ajudar.
Uma alimentação saudável (pobre em gorduras e hidratos de carbono, e rica em vegetais frescos e fruta), não beber bebidas gaseificadas pode ajudar a resolver o problema de barriga inchada. Se isto não for suficiente e se tiver ocasionalmente problemas de barriga inchada e flatulência, então um produto à base de Simeticone (Dimeticone) pode ser a solução.

Um exemplo dete tipo de produto é Dulcogas, dispositivo médico que pode ajudar no caso de sofrer de gases, arrotos ou sensação de inchaço abdominal. Dulcogas é um fármaco à base de simeticone que ajuda a eliminaro gás da barriga e que proporciona um alívio nomeadamente da sensação de inchaço, flatulência, arrotos e da sensação de estar cheio.
Em geral, a flatulência por si só é uma situação inofensiva. No entanto, se persistir ou for acompanhada de outros sintomas como cólicas, diarreia, prisão de ventre, dor abdominal persistente ou perda de peso, diarreia de longa duração ou sangue nas fezes, então é aconselhável procurar ajuda médica.
Sabia que...
1. Uma pessoa liberta em média 12 a 25 flatos por dia. Isto rapidamente chega a um total aproximado de 6500 por ano.

2. Os flatos são compostos por 99% de gases inodoros (azoto, oxigénio, dióxido de carbono, hidrogénio e metano) e por apenas 1% de gases mal cheirosos (especialmente compostos de enxofre e ácido butírico). Praticamente todos os animais, tais como mamíferos, aves, peixes, e os próprios insetos libertam gases.

3. As térmitas através da sua libertação de gases contribuem para o efeito de estufa.

4. Os arenques libertam gases para comunicarem uns com os outros.

5. As mulheres libertam tantos gases como os homens.

6. O som dos gases é tão engraçado, que são vendidas almofadas de peidos.

7. O metano é frequentemente associado a flatulência, mas dois terços de todas as pessoas não produz nenhum metano nos seus gases.

8. No Japão foram desenvolvidas umas cuecas para pessoas que libertam muitos gases, que conseguem disfarçar o cheiro e são muito populares.

9. Membros da tribo indígena Yanomami na Venezuela libertam gases para se cumprimentarem.

10. Alguns gases são tão inflamáveis, como o metano e hidrogénio, que o melhor a fazer é evitar fogo por perto.

11. Na Alemanha, a libertação de arrotos e gases por vacas provocaram um curto-circuito que rebentou com o seu próprio estábulo.

12. Há pessoas que veem a libertação de gases como uma arte e, com isso, conseguem entreter o público. A isto chama-se “petomanie”, vem de “péter”, a palavra francesa para libertar gases. O francês Joseph Pujol foi um flatulista famoso.

13. Os vegetarianos libertam mais gases que os indivíduos que consomem carne, porque a alimentação vegetal é mais difícil de digerir. No entanto, os seus gases não cheiram tão mal.

14. O barulho feito pela libertação de um flato é causado pela vibração da abertura anal. O tipo de som que realmente sai depende do esfíncter e da velocidade do gás expelido e é ainda influenciado pela humidade, pêlo e quantidade de gordura corporal.

Caso ainda tenha questões que queira ver esclarecidas também pode visitar a página dulcolax.pt ou entrar em contacto com a redação de alivioprisaodeventre.pt.

Está prestes a sair do website Alivioprisaodeventre. Ao clicar no botão ”Ok” será direcionado para outro website onde os termos e condições podem ser diferentes das do website Alivioprisaodeventre. Deseja continuar?